sexta-feira, outubro 03, 2008

Dinheiro falso, volume I: vale-transporte

No Estado do Rio, qualquer cidadão pode ir a um supermercado de uma certa rede e comprar um cartão magnético para usar em ônibus, trens e barcas (o Metrô ainda não entrou na jogada e as vans semilegais inventaram seu próprio sistema de vale-transporte). Entrega 40 reais em dinheiro, recebe um cartão que dizem valer "40 reais". Ora, se eu tenho no bolso R$ 2,10 em notas e moedas, posso fazer mil coisas com esse dinheiro. Na verdade, ninguém no Brasil pode se recusar a aceitá-lo. Se eu tenho um crédito de "R$ 2,10" em vale-transporte, não serve para nada além de pagar uma passagem de ônibus. Qual dos dois dinheiros vale mais?

2 comentários:

Alexandre Martani disse...

Bem, no Rio eu não sei, mas em São Paulo, dá pra pegar vários ônibus seguidos pagando somente uma tarifa, mas somente com o cartão..

Paulo C. Barreto disse...

Alexandre: Aqui cada passagem vale uma viagem só, e olhe lá. É assim no Rio capital e em todo o resto do estado, cortesia da Fetranspor.

Google